Entenda por que você não precisa mais de canudinhos de plástico

23 de maio de 2018

Natalia Figueiredo

(5 Estrelas - 1 Votos)

Vilão para a natureza, o canudo é totalmente dispensável quando entendemos os perigos para a biodiversidade.

Aparentemente inofensivos, os canudinhos de plástico tornaram-se os novos vilões da natureza. Tudo começou após a divulgação de um vídeo que mostrava um canudo sendo retirado do nariz de uma tartaruga marinha. As imagens bastante angustiantes, mobilizaram grupos em diversas partes do mundo a fim de banir o utensílio da rotina das pessoas. Por que no fundo é apenas um (mau) hábito.

Não sabemos ao certo, mas diz-se que os primeiros canudos foram produzidos pelos sumérios, antiga civilização do sul da Mesopotâmia, feitos de ouro ou palha. Só que o problema ambiental surgiu quando eles passaram a ser feitos de plástico, na década de 1950. Mais recentemente, a rainha da Inglaterra, Elizabeth II, decidiu proibir produtos de plástico em todo o Reino Unido. No Brasil, o grito também já começa a ecoar.

Bares e restaurantes já aderiram ao movimento contra os canudinhos de plástico

Há mais ou menos 20 anos, os canudos no Brasil eram vendidos em sacos grandes e sem uma embalagem individual para cada. Só que recentemente o novo modelo em embalagem plástica transparente “mais higiênica” e ainda mais poluente virou regra. Mesmo sem existir uma legislação específica que obrigue os estabelecimentos a isso.

Nessa guerra ao canudinho, diversos estabelecimentos no Rio de Janeiro e São Paulo já substituem os originais de plástico por canudos de inox, vidro ou papel. Os maravilhosos drinks não são prejudicados pela novidade, muito pelo contrário. Ganham roupagem moderna e responsável. O que não faltam são opções. Veja algumas:

  • Canudos de papel
  • Silicone
  • Bambu
  • Palha
  • Vidro
  • Metálico
  • Bomba de chimarrão
  • Ou nenhum canudo, apenas o seu copo! 🙂

Não se lixe

canudinho de plástico representa 4% de todo o lixo plástico do mundo e, por ser feito de polipropileno e poliestireno (plásticos), não é biodegradável, podendo levar até 500 anos para se decompor. Segundo a campanha The Last Plastic Straw (o último canudo de plástico), somente nos Estados Unidos 500 milhões de canudos são usados e descartados diariamente. O que contribui para o consumo de petróleo – uma fonte não renovável.

Presente nas praias, o canudo de plástico também é fonte de formação de microplástico, o formato mais prejudicial do plástico, que já está presente nos alimentos, no sal, nos organismos e até na água potável do mundo inteiro. Cálculos do Instituto Akatu, organização dedicada ao desenvolvimento de estratégias para mudanças de hábitos de consumo, alertam para o tamanho do problema. Se colocarmos todos os tubinhos consumidos – apenas no Brasil – na vertical, um seguido do outro, a extensão seria suficiente para ir e voltar da Terra à Lua 20 vezes.

Não adianta usar o canudo, jogar na lixeira e achar que está tudo bem. Mesmo se descartado corretamente, e levado a aterros legalizados, o canudinho pode escapar pela ação do vento (principalmente por ser leve) e ser carregado pela chuva para mares e rios, impactando toda a fauna aquática. Estima-se que 90% das espécies marinhas tenham ingerido produtos de plástico em algum momento. Por isso, convidamos você a pensar novos hábitos mais conscientes!

 

Chega de canudinho de plástico